UA-39063185-1 Trocando uma ideia: Não abandone o barco!

"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Diga não ao bloqueio de blogs
"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Digite seu E-mail e receba as atualizações deste Blog

Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 8 de novembro de 2009

Não abandone o barco!

Certa vez, os discípulos de Jesus em um barco mediante a uma tempestade se desesperaram e clamaram por seu mestre.
Hoje em seu barco você se vê diante de uma tempestade igual ou maior e assim como aqueles discípulos se desespera.

Primeiro passo que você precisa dar não é identificar quem ou o que é sua tempestade, mas saber o que é uma tempestade. Neste ponto de vista identificamos uma tempestade como algo que foge do nosso controle, aquilo que não temos como resolver com as forças de nossas mãos ou de nosso intelecto.

É nesse momento, após esse reconhecimento (“não tenho como resolver isto”) que procuramos nosso mestre. Uma tempestade ela é capaz de destruir seu barco. Você perde o equilíbrio, não consegue ficar de pé dentro do barco se não estiver se segurando em algo, nem mesmo um marinheiro/comandante mais experiente consegue.

Nosso equilíbrio aqui é o emocional, físico e/ou espiritual. Ficamos atordoados diante da situação, desesperados dentro do barco.

Um dos pensamentos mais comuns que surgem quando nos desesperamos é querer “chutar o balde”, sair da situação, sumir, fugir, largar tudo para trás... Enfim, se livrar de forma covarde dos problemas.

Qual é o seu barco? É seu emprego? Sua casa? Sua família?...

Hoje o que fica para você é:

Não abandone o barco!!!

Não abandone seu emprego mesmo nas situações difíceis. Sem ele a situação pode piorar. Este é o recurso que você tem para amenizar a tempestade.

Não abandone sua casa você a construiu.

Não abandone sua família, pois foi DEUS que lhe deu.

Problemas sempre vão surgir...

Mas seu mestre vai estar sempre lá, ele se inclina para ouvir seu clamor mediante o seu desespero.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.

.

.