UA-39063185-1 Trocando uma ideia: Reencontro, um recomeçar

"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Diga não ao bloqueio de blogs
"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Digite seu E-mail e receba as atualizações deste Blog

Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

terça-feira, 26 de julho de 2011

Reencontro, um recomeçar


"Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?"  joão 3:04
Reencontro, encontrar novamente. Recomeçar, começar novamente. Tarefa um pouco árdua a ser executada. O que nos leva a esse recomeço e um reencontro e o que pode nos levar a esse reencontro e o ato desse recomeço? Um laço bem amarrado.

Recomeçar mesmo depois de tantas desilusões, perda da esperança e fé, perda do equilíbrio emocional e da razão, descrença na vida e em DEUS, mesmo depois de se tornar um moribundo social, É preciso recomeçar (grita a vida).

Talvez seja mesmo da natureza da vida o recomeço. Essa força natural chamado vida que recebeu de DEUS essa sina. A vida implora, grita se silencia, mas da seqüência a sua existência através do recomeço. Manifestado através de tragédias, desmatamentos, conflitos,... observamos como é belo o recomeço da vida( e viu DEUS que era bom). Luta o verde em todos os cantos, lutam todas as espécies, e não ficamos de fora dessa regra que se tornou uma das maiores dádivas de DEUS.

Hora do reencontro. Reencontro com a esperança, a fé, consigo mesmo, com DEUS e a vida. Com aquilo que se perdeu. A tão citada vida nos traz a altos e baixos, vitorias e derrotas, bons frutos colhidos na época de colheita ou devastação na época das pragas. Coisas de uma vida bem vivida como diz os mais experientes.

Reencontra-se é fundamental, pois disso depende a essência mais pura da felicidade. Reencontrar consigo mesmo traz leveza de espírito. Traz uma consciência tranqüila. Uma vida serena no meio de tantos conflitos. Simplesmente para um  recomeço com fé e esperança de um hoje ainda melhor.

Reencontra-se com DEUS... Estranho como somos injustos ao culpá-lo pelas injustiças do homem. Será que o tendo como criador e supremo da vida o torna culpado. Um pai exemplar, boa índole e educador pode ser culpado também pela falta de caráter de um filho rebelde e malicioso? O lado, digamos, ruim da vida, que nos traz dolorosas cicatrizes e que endurece nossos corações, e que também nos traumatiza, por maior que seja nosso amor pela vida, estranhamente nos faz temê-la. Quem culpo? DEUS - criador da vida.

Mas essa mesma vida ensina que para um recomeço com ela preciso me reencontrar com ela, seus princípios e o seu criador. Talvez um dia olhar para ELE e dizer o que já sabe sua infinita sabedoria mesmo antes de toda criação. Juntos chorar, a princípio de aflição, revolta, indignação,... E por fim de alegria.

Reencontrrar- se com lembranças de um tempo em que o amor sustentava promessas que o engano quis esconder do tempo. Reencontrar-me com aquela velha briga...  e com o um coração preparado para o recomeço, de espírito iluminado deixar tudo acabado.

Esse reencontro e recomeço mexe com toda a estrutura interna da vida. Para uns talvez por rebeldia seja melhor dizer que nasceu assim e vai morrer assim, mas entendo que quando Jesus citou do homem negar a si mesmo, seria dessa arrumação nessa estrutura interna. Purificar o templo, já que nos consideramos igreja, moradia do Espírito de DEUS. 


"Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. "   joão 3:05

2 comentários:

  1. Obrigado pela visita e comentário no "Sola Scriptura",parabéns pelo blog e estamos juntos na luta pelo verdadeiro Evangelho.Deus o abençoe!Já estou te seguindo.

    ResponderExcluir
  2. A paz de Cristo! Tudo bem? Parabéns pela postagem. Que Deus continue te abençoando. Se você tiver um tempo passa no meu blog para conhecer.

    http://prpaulofabricio.blogspot.com

    ResponderExcluir

.

.

.

.