UA-39063185-1 Trocando uma ideia: Enfermeira mata cachorro

"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Diga não ao bloqueio de blogs
"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Digite seu E-mail e receba as atualizações deste Blog

Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, 17 de dezembro de 2011

Enfermeira mata cachorro

Estourou estes dias na internet mais uma demostração do que certos tipos de pessoas são capazes. A enfermeira Camilla Correa Alvez de Moura Araujo dos Santos, em um vídeo que vazou na internet, mostrou todo o potencial da maldade no ser humano. Na frente de sua pequenina filha de 3 anos ela mata covardemente um cachorro. Nas redes sociais foram exibidas diversas formas de protesto contra o ato desta "mãe" que tem em seu perfil na net declarado que ama o esposo, filha e cachorro. Vendo este vídeo me pergunto o que ela faria com quem odeia. Que amor é esse pelo cachorro e pela filha que presenciou tal barbárie. Rebatendo os protestos, ela foi longe, alegou que o pobre e indefeso bichino era perigoso e que não adiantava protestos, pois não daria em nada.
Que amor é esse que ela diz ter?
Que mãe é essa que faz isso na frente de uma filha pequena?
Que marido é esse que confia sua filha a uma dessas?
Que lei é essa que não age?
Provavelmente um advogado vai alegar insanidade ou desequilibrio emocional!!!
Assim é nossa cultura, vê-se na mídia(novelas) as pessoas más como doentes.Coitadinhas.
Perdemos a noção de bom e ruim. Pessoas boas praticam coisas boas e ruins coisas ruins. Assim são os frutos.
Até quando vamos continuar a tratar o mal como doença e não como o mal?
Ou é friou ou quente. É sim ou não. Bom ou mal. Biblicamente simples.
Merece perdão? Biblicamente sim.
Merece ser submetida a justiça?
Biblicamente sim!!!

O vídeo que choca!

Protestos na internet!

Frieza na internet !!!

Um comentário:

  1. essa MÚMIA tem que ser punida que o MPG faça a sua parte "assasina!
    Eduardo

    ResponderExcluir

.

.

.

.