UA-39063185-1 Trocando uma ideia: Projeto de lei para regularizar a prostituição

"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Diga não ao bloqueio de blogs
"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Digite seu E-mail e receba as atualizações deste Blog

Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Projeto de lei para regularizar a prostituição

Voltou a ser discussão a PL 98/2003 de autoria do Fernando Gabeira. Entre tantos projetos engavetados, este que voltou aos interesses de nossos governantes, assim como outros projetos de lei que geram muita polemica.
Dita como a profissão mais antiga do mundo, o teor da discussão refere-se à moralidade, pecado, leis trabalhistas, segurança, exploração da mulher, abuso de menor,... Entre outros pontos.
Agora o deputado federal e ativista gay Jean Wyllys (PSOL-RJ) está articulando a criação de um Projeto de Lei (PL) para regulamentar a atividade de prostituta no Brasil. Uma iniciativa que se baseia em projetos de lei semelhantes, como a legislação alemã, voltada para as profissionais do sexo, e também nos projetos de lei arquivados, dos ex-deputados Fernando Gabeira (PL 98/2003) e Eduardo Valverde (Projeto de Lei 4244/04).
Hoje para funcionar, as casas noturnas do gênero funcionam com o consentimento da lei que a proíbe através de propina. Com a legalização passaria a ser como as empresas normais deste país fazem, pagando impostos. - essa é uma das visões apresentadas por quem é a favor da PL 98/2003.
Segundo o deputado Jean Wyllys "A mesma sociedade que desaprova a prostituição a utiliza. Essa hipocrisia e moralismo superficial causam injustiças, a marginalização de um segmento considerável da sociedade e também a negação de direitos aos profissionais cuja existência nunca deixou de ser fomentada. Desenvolver a cidadania das e dos profissionais de prostituição caminha no sentido da efetivação da dignidade humana".
Para os que são contra fica a questão da moralidade, segurança, respeito,... Há outras formas de ganhar dinheiro limpo. A mulher precisa de sua dignidade. Escolher seu parceiro com amor e sustentar-se a si e família com a mesma dignidade.
Tornar legal a "profissão" em carteira de trabalho não traria esta dignidade. Pode ser confortável para os donos de prostíbulos, mas para estas mulheres os confrontos internos continuariam atormentando a razão de suas existências.
Continuariam elas buscando fuga nas drogas.
Continuariam elas sonhando com algo que este projeto de lei não traz.
Continuariam elas na madrugada a margem desta mesma lei.
Continuariam elas abaixo da hipocrisia de uma sociedade que proíbe e ao mesmo tempo direta ou indiretamente usa esse "serviço" prestado por um grupo que é conhecido por diversos nomes, mas com o mesmo propósito.

"Hoje para funcionar, as casas noturnas do gênero funcionam com o consentimento da lei que a proíbe através de propina. " - SNeves

Nenhum comentário:

Postar um comentário

.

.

.

.