UA-39063185-1 Trocando uma ideia: Robocop, o policial do futuro

"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Diga não ao bloqueio de blogs
"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Digite seu E-mail e receba as atualizações deste Blog

Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Robocop, o policial do futuro

O famoso policial do futuro está de volta. Estreia em um reboot que gera expectativas. Conhecido principalmente aqui no Brasil como o Robocop de José Padilha, o diretor desta produção que ficou mundialmente conhecido pelos seus filmes "Tropa de Elite 1 e 2".
Robocop, o policial do futuro foi sucesso nas décadas de 80 e 90. Para quem assistiu o filme anterior com certeza fica a inevitável comparação, mas vale ressaltar que esta nova adaptação não deixa nada a desejar do sucesso do filme de 1987. Este novo Robocop tem uma boa história, grandes efeitos e cenas que de leve lembram seu antecessor. Padilha não falhou em sua direção, pelo contrário, fez jus ao herói do futuro e ao seu próprio nome.
No elenco o filme conta com um time de peso como o Joel Kinnaman (Alex Murphy/Robocop), Gary Oldman (Dr. Dennett Norton), Michael Keaton (Raymond Sellars), Samuel L. Jackson (Patrick "Pat" Novak), Abbie Cornish (Clara Murphy), Jackie Earle Haley (Rick Mattox), Michael K. Williams (Jack Lewis), Jennifer Ehle (Liz Kline), Jay Baruchel (Tom Pope), Aimee Garcia (Jae Kim), John Paul Ruttan (David Murphy), Miguel Ferrer (Antoine Vallon. Ferrer), Marianne Jean-Baptiste (Karen Dean), Douglas Urbanski (Prefeito Durant) e Zach Grenier (Senador Dreyfuss).
Robocop, o policial do futuro está de volta e é uma ótima opção para um bom final de semana.

Um comentário:

  1. Oi Sérgio!
    Sua postagem é interessante porque permite uma discussão sobre como seremos no futuro. O filme não me desperta a atenção, porque não curto muito esse tipo de ação (tão plena de violência e em nome de uma justiça que nunca se faz), mas a vida pode imitar a arte e já vimos isso acontecer.
    Não vou assistir a esse filme, mas dou viva à tecnologia que poderá advir dessa produção.
    Um abraço e tenha bons dias!

    ResponderExcluir

.

.

.

.