UA-39063185-1 Trocando uma ideia: Golpe duplo

"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Diga não ao bloqueio de blogs
"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Digite seu E-mail e receba as atualizações deste Blog

Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Golpe duplo

O filme estrelado por Will Smith, Margot Robbie e Rodrigo Santoro, que conta a história do trapaceiro Nick Spurgeon (papel recusado por Ryan Gosling, Brad Pitt e Ben Affleck, ficando com Will) , que começa a treinar a novata Jess Barret. Além de se apaixonarem (óbvio) ele tem que enfrentar um grande adversário e milionário dono de uma empresa de carros.
Golpe duplo é um daqueles filmes onde o errado é o certo. O personagem Nick ensinar a trapacear e a roubar. um personagem que lembra muito a talvez conhecidos nossos, pois quem não conhece algum tipo de pilantra.
Em nossa realidade vemos a cada dia o número de assaltos e golpes aumentando. Aqui no RJ com a ocupação das favelas pela UPP, a Unidade de Policia Pacificadora, os bandidos para arrumar dinheiro foram para as ruas assaltar. Basta ver os noticiários para se ter noção desta triste realidade, o número de assaltos aumentaram e muito.
O que tem a ver com este filme?
Alguns após assistirem podem dizer que ele (o filme) ensina a roubar, mas outros talvez afirmem que o filme apenas retrata uma realidade que não é exclusiva do Rio de Janeiro ou do Brasil. Um dos momentos que me chama a atenção é quando Nick interpretado por Will Smith ensina a roubar carteiras, relógios,... o filme mostra como um grupo de ladrões age, como analisam o perfil das vítimas e como em grupo roubam bolsas, muchilas,... sem a vítima perceber, e que não fazem isso sozinhos.
Eu vejo esse filme como um aprendizado para ambos os lados, tanto para o ladrão como a vítima. Para a vítima, o nosso lado nesta situação desagradável, vale entender como "pedimos"para sermos assaltados. Vemos como somos observados e analisados e como somos pegos no momento certo.
É um filme interessante e pouco divulgado, mas que vale assistir e refletir sobre nossa realidade.
Não, a vida não imita a arte, mas é um momento onde a arte "denuncia" a vida.
... e como na vida real, o ladrão sai impune, livre e feliz com sua fiel (termo usado por bandidos referindo a sua companheira) ostentando o produto de sua vida miserável de ladrão.
... e quanto a nós as vítimas nos resta se lamentar, talvez chorar, se conformar, ver a impunidade e ser chamado de otário, pois bem feito, quem mandou dar mole.
Até na ficção os valores estão invetidos.
o filme mostra como um grupo de ladrões age 
o filme apenas retrata uma realidade

3 comentários:

  1. Oi, Sérgio!
    Realmente é uma inversão de valores, pois ninguém pede para ser assaltado. O erro está no assaltante nos tirar a liberdade de ir e vir.
    Boa semana!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  2. Oi Sergio,
    Eu morei 15 anos em uma metrópole e nunca fui assaltada e desde o final de 85 moro no interior que hoje também está violento e a minha família nunca foi assaltada.
    Eu acredito que deve ser sorte ou tenho algum repelente.
    Aqui é o cemitério dos roubos!!!!
    Adorei a matéria
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá Sergio moro no Rio de Janeiro, e graças a Deus nunca fui assaltada, mais todos os dias vejo no jornal assaltos por aqui, é lamentável viver em um lugar que não podemos mais andar com tranquilidade, Sergio beijos.http://www.lucimarestreladamanha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

.

.

.

.