"O problema não é você estar preso ,e sim o que você faz com a liberdade !!!"

Digite seu E-mail e receba as atualizações deste Blog

sábado, 13 de outubro de 2018

O povo não sabe votar?!

Aprendemos a votar da seguinte forma:
- Alguém nos diz em quem votar. Que aquele candidato é o ideal.
- A propaganda eleitoral nos diz que aquele candidato tem a melhor proposta.
- Na sala de aula o professor militante diz para o aluno que seus pais não sabem votar, que o candidato correto é o seu.
Não há um curso, nenhuma formação acadêmica que ensine. Votar não está na grade curricular do aluno cidadão.
Erradamente minha geração aprendeu a votar no menos pior. Fomos criados a aceitar a política do "ele mata, mas faz".
Independente de escolha nas urnas,  seja aquele eleitor o que vai votar no candidato A, B, no candidato C, em branco ou anular, todos votam seguindo as únicas fórmulas.
O cidadão vota por ideais e experiência de vida. É assim que cada eleitor aprende a votar.
Dizer que o povo não sabe votar é uma afirmação injusta e preconceituosa de quem aponta seu dedo para os barracos de madeira das grandes metrópoles e para as casas de bambu e barro das cidades do interior.
Acreditar que quem anula seu voto não tem direito a reclamar e que contribui para que o candidato errado assuma é um erro já que o voto é obrigatório. Na festa da cidadania nosso direito é um dever.
Somos intimados a votar!
Nos colocamos naquela situação em que tudo dá errado e os envolvidos começam a se acusar. Procura se um culpado.
Da mesma forma que não tem como adivinhar que o candidato eleito não se comportaria de forma exemplar no cargo, não se pode afirmar que o voto nulo convertido contribuiria para o candidato exemplar.
O voto nulo também é uma escolha consciente, não um protesto.
Democracia é cada um com suas escolhas e todos respeitando isso.
Voto nulo/branco não é voto de protesto, é voto consciente de quem também já fez sua escolha.

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Eu sou!

Na história da reencarnação todos já foram alguém importante. Um rei, um rico, uma personalidade história,...
Hoje para alguns negros todos são filhos de reis. Ninguém é filho/descendente de um pobre, um desempregado, ladrão, prostituta,... O sangue nobre corre na história.
A impressão que tenho é que na antiga África todos eram reis, não havia súditos!
... Ou o rei engravidava todas as mulheres do reino (o que parece pior).
A África ontem e hoje não é tão diferente. Assim como no Brasil há a diferença social e negro ferrando negro, o que me faz entender que há algo além da cor e o lado da história que nunca vai estar em destaque no livro.
Onde isso começou?
"Preto é cor, negro é raça!"
"Negro não, Afrodescendente!"
...  E hoje?
Vossa majestade?
Respeito não se impõe, é GRAÇA MERECIDA!
O que se aprende com Mano Brown é que ele assim como o também rapper Gog, são dois negros que entraram em quase todas às periferias deste país sem a arrogância, conquistaram "súditos" sem essa conversa fiada de impor respeito.
... Eu sou filho único de mãe solteira que veio do interior para a periferia de uma grande metrópole.
Essa é a história que não contam os livros!




Você poderá gostar também de:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...